Vinte de Outubro de 2008, até mesmo a chuva cessou para acompanhar o sucesso da união de uma nova geração de designers, fotógrafos e músicos em pró de uma nova identidade, a Identidade Brazuca. Os 50 anos da Bossa Nova foi homenageado de acordo com o estilo de cada designer e o olhar de cada fotógrafo, formando um mosaico de idéias, estilos, cores, formas e texturas.

A 1ª edição do Identidade Brazuca reuniu cerca de 400 pessoas que puderam acompanhar de perto idéias cheias de frescor, e conferir melhor a proposta de cada designer e fotógrafo através do Jornal Brazuca, desenvolvido por estudantes de jornalismo, entregue no dia.



A mostra de fotografia contou com inspirações que variavam do corpo da mulher comparado ao violão, instrumento característico da Bossa Nova, por Rafael Magalhães. O fotógrafo Rogério Porto se dedicou a mostrar objetos que passam desapercebidos, mas que fazem parte dos elementos que caracterizam a Bossa Nova. A fotógrafa Mell Carrilho mostrou a proposta dos ambientes e do estilo de vida que remetem Bossa Nova.

O desfile apresentou propostas para o Outono Inverno 2009 inspirados na Bossa Nova.

A marca das estudantes de moda Tamires e Ane, a Von Sanduhr apresentou uma proposta clássica, com looks que valorizam a silhueta da mulher, que é comparada a forma do violão, a cartela de cores é composta por preto e branco.


Gleidiane Gomes quis mostrar o lado feminino da Bossa Nova, onde a mulher era a musa, e não aquela que destruía relacionamentos. A mulher era realmente valorizada, a cartela de cores é a mais feminina possível, vermelho e rosa pink em tons de degradê.


Izabelle Lima apostou em vestidos bem rodados e cintura marcada por cintos onde seus bordados lembravam a arquitetura do Rio, capital da Bossa Nova. A cor azul é do tom do mar, a inspiração vem da garota de Ipanema.


Leísa Renev trouxe de volta o romantismo, a coleção é direcionada á mulheres cosmopolita e clean, com cores leves, que remetem ao Jardim Botânico, lugar onde os integrantes da Bossa Nova se reuniam.


Lídia Keila se inspirou na música “Chega de Saudade” para compor looks modernos e com um toque romântico, destaque merecido para os coletes vintage e o chapéu. As formas são leves e confortáveis, lembrando a descontração da época.


Nara Leão foi a inspiração de Maresa Tamar para criar peças modernas e com tecidos que garantem leveza e fluidez.


Nadima Chalup deu destaque a Bossa Nova que fez e ainda faz sucesso fora do Brasil. A mistura da delicadeza do Jazz americano e o balanço do Samba também estiveram presentes nas peças apresentadas.


Patrícia Rego inspirou-se nas garotas moderninhas que sempre queriam algo novo, a música “Essa moça ta diferente” serviu de inspiração e descreve todo esse desejo de mudança.


Raphael Fraga usou elementos como a leveza e o requinte natural da Bossa Nova para seus vestidos carregados de fluidez e elegância em tons pastéis.



Para finalizar com chave de ouro esse grande encontro, o jovem Madson Monteiro fez um pocket show com as músicas de mais sucesso da Bossa Nova, juntamente com o músico Luizinho Mugstones.

Nostalgia, romantismo e frescor marcaram a noite da primeira edição do projeto Identidade Brazuca.

por Nadima Chalup
Anúncios